Títulos do mercado financeiro: o que são e como investir nesses ativos

Uma das maneiras de aumentar seu capital é investindo em títulos do mercado financeiro.

Existem diversos tipos de títulos disponíveis no mercado financeiro que se dividem em duas categorias: os títulos públicos e os títulos privados.

O primeiro é emitido pelo Governo, e o segundo é emitido pela iniciativa privada, sendo instituições financeiras e empresas de diversos setores. Por isso, encontram-se algumas diferenças entre esses dois artigos.

Neste artigo, vamos abordar o que são os títulos financeiros e como é possível investir nesse tipo de ativo. Continue a leitura para conferir! 

Tópicos Importantes, clique abaixo

O que é um título do mercado financeiro?

Um título do mercado financeiro é um ativo de renda fixa, emitido pelo Governo ou por instituições privadas.

Títulos e ações são termos comuns no mundo dos investimentos, mas vale ressaltar que eles fazem parte de diferentes classes de ativos diferentes.

Ações são ativos de renda variável, isto é, seu retorno de capital não pode ser dimensionado no momento da aplicação.

Por outro lado, os títulos do mercado financeiro são ativos de renda fixa que podem ser emitidos pelo Governo, ou por instituições privadas.

Eles funcionam como uma espécie de empréstimo ao emissor dos títulos para que possam captar recursos e manter suas atividades. O investidor recebe, com juros, o retorno da aplicação na data de vencimento do título.

Como mencionamos no início do artigo, existem duas categorias de títulos do mercado financeiro:

Títulos públicos

Os títulos públicos são os títulos emitidos pelo Governo Federal através do Tesouro Nacional, um órgão de administração financeira e contabilidade do governo que funciona como o “caixa” do Brasil, arrecadando e disponibilizando recursos para viabilizar os projetos de administração pública e para custear as dívidas.

Títulos privados

São títulos emitidos por empresas privadas, bancos ou outras instituições financeiras que também são arrecadados para oportunizar o progresso de projetos e atividades ou para bancar dívidas. A diferença dos títulos privados em relação aos títulos públicos está no órgão emissor.

A seguir, vamos entender os tipos de títulos do mercado financeiro disponíveis em cada categoria.

Tipos de títulos públicos

A aplicação em títulos públicos só é possível ser realizada por meio do programa do Tesouro Direto, criado pelo Governo Federal que permite que pessoas físicas comprem títulos públicos federais.

As regras para investir no Tesouro Direto são:

  1. O valor inicial mínimo para investimento é de R $30, e o máximo é de R $1 milhão por mês.
  2. O investidor não é obrigado a comprar um título inteiro.
  3. A fração mínima para aplicação é de 1% do total do valor do título.

Conheça alguns dos títulos públicos:

Tesouro Prefixado 

Os títulos de Tesouro Prefixado são, como o próprio nome sugere, títulos prefixados, ou seja, a taxa de juros que define a rentabilidade da aplicação já é prevista no momento em que o investimento é feito. São caracterizados como aplicações mais conservadoras, com garantia de rentabilidade.

Esses títulos são LTN (Letra do Tesouro Nacional) e NTN-F (Notas do Tesouro Nacional série F) — utilizada para cobrir o déficit orçamentário e propiciar as operações de crédito do governo.

Para o primeiro, o pagamento dos juros é feito na data de vencimento do título. Já no segundo, o retorno do capital acontece a cada seis meses.

Tesouro Selic 

A rentabilidade dos títulos de Tesouro Selic são variáveis, porque trata-se de um título pós-fixado, que considera a taxa Selic desde a aplicação do título até sua data de vencimento, quando ocorre o pagamento dos juros.

As LFTs (Letra Financeira do Tesouro) são títulos emitidos com o objetivo de cobrir as dívidas do governo, mas podem também ser utilizados para possibilitar operações de crédito.

Tesouro IPCA+

Os títulos no Tesouro IPCA são títulos híbridos. Isso significa que sua rentabilidade é formada por aspectos variáveis (que consideram o IPCA) e por aspectos fixos (valores de juros pré-determinados). 

A NTN-B (Nota do Tesouro Nacional série B) faz parte do Tesouro IPCA+. O pagamento desta aplicação acontece a cada seis meses. Outro exemplo de título desta categoria é a NTN-B Principal, em que o investidor recebe o rendimento acordado apenas na data de vencimento deste título.

Tipos de títulos privados

Confira quais são os tipos de títulos emitidos pela iniciativa privada:

CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) são títulos emitidos por bancos e corretoras de valores.

Este título é um dos mais atrativos títulos privados porque costumam ter prazos curtos e médios. Sua rentabilidade é elevada de acordo com o risco da aplicação. Ainda assim, os CDBs são protegidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

LCI e LCA

Os investimentos em Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) e em Letra de Crédito de Imobiliário (LCI) são emitidos por instituições financeiras que colhem recursos para projetos nos setores em questão.

O LCI e a LCA podem ser prefixados, pós-fixados ou híbridos. Fica a cargo do investidor escolher a rentabilidade mais compatível com seus objetivos financeiros.

Debêntures

As debêntures são títulos emitidos para captar recursos para quitar dívidas ou viabilizar projetos.

Elas também podem ser prefixadas, pós-fixadas ou híbridas, e seu prazo de vencimento tende a ser de 3 a 5 anos.

Como investir em títulos públicos e privados?

Investir em títulos do mercado financeiro é muito simples.

É possível investir nos títulos públicos diretamente pelo site do Tesouro Direto, ou através das plataformas de corretoras de valores. No entanto, os títulos privados podem ser vendidos e comprados somente por meio das corretoras.

Para isso, é preciso:

  1. Escolher uma corretora de valores;
  2. Abrir uma conta na corretora;
  3. Transferir o dinheiro a ser aplicado para a conta da corretora;
  4. Selecionar o título público a ser adquirido;
  5. Sinalizar o valor do investimento e efetuar a compra.

Não se esqueça de verificar quais são os bancos e corretoras habilitadas pelo Tesouro Direto para a aquisição desses títulos. Você pode conferir isso clicando aqui

Além disso, no momento em que você for escolher em quais títulos deseja aplicar seus recursos, é necessário ter claros seus objetivos financeiros e entender se você está, ou não, disposto a correr riscos.

Repense Blog

A Repense Blog traz para você os melhores conteúdos da internet. Seja bem-vindo e desfrute de pautas especialmente separadas para você. Portal de conteúdos atualizado diariamente.

Que tal continuar conosco, veja os conteúdos separados especialmente para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

12 − onze =

Go up